O MS-Excel obrigatório em sala de aula



O MS-Excel obrigatório em sala de aula

Que o MS-Excel é uma ferramenta de trabalho onipresente em qualquer estação de trabalho na empresa, é fato.

Que todos nós precisamos de alguma forma, gerar informações e relatórios com o MS-Excel no nosso dia-a-dia, é fato.

Que acabamos gastando muito tempo para a realização destas tarefas, no MS-Excel, gerando em muitas vezes retrabalho ou com grande perda de produtividade, também é fato.

Que os sistemas de ERP das empresas jamais

terão a velocidade de adaptação as novas visões e relatórios

que os usuários necessitam, também é fato.

Que existem diversos “profissionais” de TI no mercado criticando o uso do MS-Excel nas empresas, também é fato.

E o fazem por ser o único software que o usuário conhece muito mais do que ele “profissional” de TI, e por este motivo fica gerando críticas estupidas sem sentido, também é fato.

Que existem artigos escritos por aí, criticando as falhas do Excel (se não estiver equivocado, é um destes artigos da Forbes), mas não comentam que as falhas ocorreram por erro de quem elaborou o trabalho, isto também é fato.

Mas por que isto acontece?

A resposta é muito simples, apesar do MS-Excel ser uma ferramenta necessária, eu diria, indispensável, na realização das nossas atividades, pouca atenção é dada pelas empresas, com o treinamento e aprimoramento do uso do MS-Excel (e do MS-Office em geral).

Há tempos, venho comentando nas minhas palestras,

inclusive nas Universidades, de que o MS-Excel deve ser

matéria obrigatória em qualquer curso.

Não estou exagerando, eu escrevi, em qualquer curso.

Nos cursos de Administração, Economia, Ciências Contábeis, Analise de Sistemas, entre outros, esta observação é um tanto quanto óbvia. O MS-Excel deve fazer parte de todos os semestres do curso.

Cursos como Engenharia e Marketing também. Um profissional de Marketing acompanha os resultados da sua campanha aonde? Como ele justifica a realização de determinada campanha que dever ser lançada?

Em papel de pão?

Não, em uma pasta de trabalho muito bem organizada.

Até mesmo cursos de Ciências Biológicas deveriam ter o MS-Excel. Como abordar o curso de estatística em Psicologia sem utilizar o MS-Excel. Médicos, Dentistas, Fisioterapeutas, Nutricionistas, entre outros, trabalharão em algum momento com tabelas, gráficos e pesquisas que devem gerar ou analisar.

O que podemos escrever sobre a carreira mais promissora nos próximos anos: Cientista de Dados. MS-Excel e Power BI puro. E um ótimo inglês. Nada mais.

Minha filha está fazendo o terceiro ano da Faculdade de Moda (2018) e os estágios que ela estava procurando (e já está estagiando) pedem conhecimento de...MS-Excel. Isto mesmo, para as atividades de moda, o estagiário precisa controlar tabelas de amostras, controle de materiais utilizados, eventos, entre tantas outras atividades. Em uma carreira de Moda.

Diversas matérias deveriam ser aplicadas utilizando o MS-Excel como base. Estatística, Pesquisa Operacional, Analise de Decisão, entre tantas outras. Mas infelizmente não temos Docentes preparados para esta frente.

E a minha abordagem neste caso é com os

recursos interativos do MS-Excel, que permite realizar uma

quantidade gigantesca de trabalho de forma produtiva e eficiente.

Não estou abordando as questões de programação com o VBA (Visual Basic for Applications), a linguagem de programação que acompanha o MS-Excel desde a versão 5.0, em 1992. Este é um outro ponto de vista, que acredito que deve ficar restrito para algumas matérias ou cursos.

Mas nisto tudo tem uma grande falta de interesse dos alunos, que acreditam que “conhecem” o que o MS-Excel pode fazer.

As Universidades, Faculdades e Empresas de Treinamento precisam oferecer cursos de qualidade, que abordem de uma forma eficiente, a gigantesca quantidade de recursos que o MS-Excel nos oferece.

Mas infelizmente, isto não ocorre, continuam apresentando somente recursos muito básicos do produto, que acaba levando os usuários a trabalhar mais do que o necessário na sua atividade para chegar ao resultado final.

Vamos à alguns exemplos:

Estou disponibilizando 4 vídeos que eu gravei, para mostrar alguns dos recursos que podemos fazer com a função Soma do MS-Excel, que todo mundo acredita que sabe tudo sobre esta função (e sobre o MS-Excel também).

Vamos aos vídeos:

Neste vídeo apresento os recursos de soma em tridimensionalidade na pasta de trabalho, aonde os dados são simétricos (mesma disponibilização) em todas as planilhas:

https://www.youtube.com/watch?v=fuXTXHyKCew&t=264s

Neste vídeo apresento diferentes formas de utilização do botão de AutoSoma do MS-Excel, e outros truques com o Ir Para Especial, que nos oferecem um grande ganho de produtividade:

https://www.youtube.com/watch?v=76XY_CMdwGU

Neste outro vídeo apresento a forma de realizar a soma em uma pasta de trabalho com os dados distribuídos de forma assimétrica (não estão na mesma posição ou ordem) em todas as planilhas:

https://www.youtube.com/watch?v=xRuhPxUi8BU

E neste outro vídeo apresento o uso do caractere coringa * (asterisco) para facilitar a soma em uma pasta de trabalho:

https://www.youtube.com/watch?v=Vo6hx1iW66Q

Nestes quatro vídeos, que juntos somam quase uma hora, apresento somente uma pequena amostra do potencial (desperdiçado) do MS-Excel, que as Universidades no Brasil não estão dando a devida atenção. Nem as empresas exigindo dos seus funcionários.

Em tempo: para apresentar outros truques de soma no MS-Excel, preciso de mais 20 horas de vídeo, tamanha é a potencialidade do produto (SOMA, SOMASE, SOMASES, SUBTOTAL, SOMARPRODUTO, Funções Matriciais, entre outros recursos de soma).

Não importa o que curso você está fazendo, não importa que atividade você irá realizar quanto ingressar no mercado de trabalho, a única certeza que eu tenho é que você terá uma estação de trabalho na sua frente, com o MS-Excel aberto.

E você vai ter que “fazer acontecer” o seu relatório lá, e não no ERP, porque o ERP é lento para a criação de novos relatórios, com diferentes visões ou agregações.

Tem dúvida disto, basta andar no andar de alguma grande empresa, com um ERP sofisticado, aonde se gastou algumas dezenas de milhões de reais para ser implantado.

E conte nas telas dos micros, quantos deles estão com o

super, master, blaster, fantástico ERP rodando,

e quantos micros estão com o MS-Excel ativo.

Covardia contar...mas tente.

Uma pausa no artigo: não estou aqui para afirmar que o MS-Excel é melhor que o ERP da sua empresa. Não é isto que estou escrevendo. Para o analítico da sua empresa, o ERP continuará a ser a melhor alternativa. Mas para o gerencial, o MS-Excel é 1.000 vezes melhor.

Quer fazer sucesso na sua carreira, não importa qual, aprenda bem e cuide bem do MS-Excel. Com certeza é te ajudará a crescer de forma consistente.

O restante é por sua conta e risco.

Vida longa ao MS-Excel...

 

João Benito Savastano

 

Posted on